0

Nícolas Santos 

A partir de julho de 2024, o Google Analytics Universal (GA3) deixará de existir, restando apenas o Google Analytics 4 (GA4). Essa mudança representa um marco significativo para empresas que utilizam a ferramenta para análise de dados.

O Google iniciou o desenvolvimento do GA4 com o objetivo de integrar a jornada do usuário entre sites e aplicativos. No entanto, a crescente preocupação com a privacidade dos usuários e novas regulamentações, como a GDPR na Europa e a LGPD no Brasil, exigiram adaptações significativas. A desativação completa do GA3 acontecerá em julho deste ano. A partir dessa data, todos os usuários perderão acesso ao GA3 e seus dados serão excluídos permanentemente, sem possibilidade de recuperação via API.

Com o foco integral no GA4, o Google começou a desativar gradualmente funcionalidades do GA3, como o Relatório em Tempo-Real. Isso incentiva a migração e a familiarização com a nova ferramenta, que promete maior integração e melhores insights de dados. Essas desativações foram um claro sinal de que o Google deixará de prestar suporte a esta versão, ao mesmo tempo que será um grande incentivo a toda comunidade para se familiarizar com a nova ferramenta e aprender como tirar o melhor proveito dela.

Empresas que utilizam o GA Universal há anos possuem um vasto histórico de dados valiosos. Esses dados são cruciais para a criação de modelos avançados de Machine Learning e para a geração de insights estratégicos com a ajuda de Inteligências Artificiais Generativas (GenAIs).

Com a iminente desativação do GA3, as empresas devem agir rapidamente para exportar e armazenar seus dados históricos. Embora o Google ofereça integração com o BigQuery, essa solução pode não estar disponível para todos, especialmente para aqueles que não utilizam a versão paga do GA3.

Uma alternativa é utilizar conectores e ferramentas desenvolvidas especificamente para a extração e armazenamento de dados do GA3. Essas soluções visam garantir a preservação dos dados mais relevantes, devolvendo o controle às empresas de maneira rápida e eficaz. Isso inclui a visibilidade sobre os principais dados, como volume de usuários, sessões, conversões (e-commerce e metas), detalhes de produtos, e relatórios de aquisição (origem, mídia, campanha), entre outras informações.

Além da preservação dos dados, a migração para o GA4 traz novas funcionalidades que melhoram a análise de dados. O GA4 oferece uma visão unificada do usuário, combinando dados de sites e aplicativos em uma única plataforma. Ele é baseado totalmente em eventos, permitindo um acompanhamento mais detalhado do comportamento do usuário. A capacidade de previsão baseada em IA, disponível no GA4, ajuda as empresas a anteciparem tendências e tomar decisões mais informadas.

Sabemos que são tempos desafiadores. Muitas mudanças de parVFadigmas estão acontecendo nos últimos anos e ainda continuarão acontecendo nos próximos. É por isso que é muito importante ter parceiros estratégicos nessa jornada, que estarão sempre acompanhando e se atualizando para oferecer soluções alternativas para a resolução dos problemas da atualidade.

* Nícolas Santos é Data Strategy Manager & Associate Partner da Cadastra, empresa global de estratégia, tecnologia, dados e marketing.

Redação
Equipe de Redação

FEBRABAN TECH 2024 inicia na próxima terça-feira, dia 25

Artigo Anterior

Reforma Tributaria deve aumentar demanda por serviços contábeis, aponta pesquisa

Próximo Artigo

Veja também

Mais sobre Tecnologia