0

Como parte do seu movimento pela diversidade, a Vivo ampliou de 25% para 33% a representatividade de gênero em seu Conselho de Administração.

A iniciativa consolida a empresa como uma das companhias brasileiras com maior número de mulheres conselheiras. Segundo pesquisa “Women in the boardroom – a Global Perspective”, realizada pela consultoria Deloitte, apenas 10,4% das posições em conselho no Brasil são ocupadas por elas. O País ocupa a 39ª posição no mundo.

Fazem parte da nova formação do conselho da Vivo, Solange Sobral Targa, vice-presidente partner da empresa de tecnologia CI&T, membro do Conselho da Unidas e consultora do Comitê Consultivo de Diversidade do Banco Itaú, e Andrea Capelo Pinheiro, que foi fundadora do banco BR Partners e é embaixadora da Endeavor.

Claudia Maria Costin, Diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais da Escola Brasileira de Administração Pública, da Fundação Getúlio Vargas, professora na FGV do Rio de Janeiro em Políticas Públicas, além de membro do conselho de governança da UIL – Institute for Lifelong Learning e Ana Theresa Masetti Borsari, responsável pela Experiência Profissional do Cliente na esfera global do Grupo Stellantins, foram reeleitas e completam o time. O Conselho da Vivo possui atualmente 83,33% de membros independentes, o que demonstra seu compromisso com as melhores práticas de governança.

Integram o novo Conselho de Administração

  • Alfredo Arahuetes García
  • Ana Theresa Masetti Borsari
  • Andrea Capelo Pinheiro
  • Christian Mauad Gebara
  • Claudia Maria Costin
  • Eduardo Navarro de Carvalho
  • Francisco Javier de Paz Mancho
  • Ignácio Moreno Martínez
  • Jordi Gual Solé
  • José María Del Rey Osorio
  • Juan Carlos Ros Brugueras

 

Confira como criar roteiro para mininovelas de até um minuto no Kwai

Artigo Anterior

B2B Awards, maior premiação de softwares do Brasil acontece em maio

Próximo Artigo

Veja também

Mais sobre Negócios